por Rogélia Heriberta

Diante das possibilidades tão extensas de inclusão a coluna Art Inclusiva irá apresentar aos leitores da Revista Digital Tendência Inclusiva a arte inclusiva de Rogélia Heriberta de Jesus com pinturas, desenhos, esculturas e fotografia.

 

E dando continuidade a nossa galeria de Art Inclusiva, conheci Evinho que tive o imenso prazer de retratá-lo.

 

Evinho é piloto de parapente adaptado. Conheça um pouco mais sobre ele!

 

Quem é Weverson R. Bezerra Evinho?

 

Me chamo Weverson, mas os amigos me conhecem por Evinho! 

Me acidentei aos 14 anos de idade com uma bicicleta e tive Iesão meduIar T6/ T7. Desde então não ando e isso já fazem 21 anos, pois o acidente aconteceu em 05/01/1994. Sou naturaI de Manhuaçu, cidade de Minas Gerais,  mas morei em AIto Jequitibá também em Minas Gerais, minha vida toda. Estudei até 2º grau mas sem completar os estudos e hoje dou auIas de vôo Iivre Parapente ou ParagIider, que na verdade é a mesma coisa, sendo que uma pronúncia é em francês e outra em inglês. 


Como este esporte surgiu na sua vida?

 

Sempre gostei de esportes radicais e quando criança adora ver o programa Armação Ilimitada da Rede Globo. Para quem não é da época deste programa não vai saber como era, mas tinham muitas aventuras com motos, asas deltas, etc...

 

Depois do acidente, assistia muitos voos de parapente pela televisão.  Na época era pouco divulgado. Em 2001, conversando com uma amiga ela me contou que o tio praticava o esporte em Venda Nova do Imigrante no estado do Espírito Santo.  Emerson é nome dele...

 

Um dia, aqui em minha cidade, o conheci pessoalmente. Foi meu primeiro contato com esporte, porém depois de um tempo conseguimos um instrutor que deu aulas para uns amigos meus, assim acompanhei durante anos, sem poder fazer o esporte. Em 2006, conheci Marcelo Ratis, instrutor que mora em Alfredo Chaves no Espírito Santo  e foi ele quem me ensinou a voar! Hoje dou aulas e ensino o esporte, tento fazer bem feito por ser um esporte de radical, têm que ser respeitado, pois assim se voa anos, sempre respeitando seus limites e a natureza.

 

 

 

Pode nos explicar um pouco como funciona seu esporte e quais pessoas podem participar?

 

Como sou paraplégico tive que adaptar um triker (carrinho) para poder voar, afinal ele me ajuda a decolar e pousar, mas durante o voo sou como outro piloto qualquer! Sempre conto com a ajuda de amigos, pois sem eles não saio do chão!

 

Se o mundo te desse a oportunidade, o que pediria para que fosse mais inclusivo?

 

Respeito às diferenças, seja ela qual for, simples assim! Ser humano está cada dia menos humano, mas eu tenho esperanças ainda!

Falando de acessibilidade, acredito que fazer rampas, respeitar vagas para pessoas com deficiência é essencial. Para falar a verdade, este país está longe de ser bom para pessoas com deficiência, nada funciona para quem “é normal” imagine para quem tem alguma deficiência. 

 

Qual mensagem gostaria de deixar a Coluna Art Inclusiva de Rogélia Heriberta na Revista Digital Tendência Inclusiva?

 

Podemos ser sempre mais! Sempre vamos ter buracos em nossas vidas, cabe, a cada um de nós, querer se esconder dentro dele ou sair! Não sei se sou exemplo como alguns amigos me falam, tenho defeitos pra caramba, mas uma coisa que aprendi: nada é por acaso, sempre devemos lutar para ser melhor e feIiz. Fácil não é, mas se fosse não teria graça!

 "O Voo Inclusivo"

pastel e grafite

60X25

Abaixo um texto que nosso retratado Evinho fez há alguns anos:

 

"Tornei-me paraplégico em um acidente de ciclismo… logo após o acidente eu andei (não podia)! Tinha quebrado a coluna, mas não tinha lesionado a medula. Não me lembro do que aconteceu, mas se eu não tivesse me levantado na hora, estava andando hoje… Mas, fazer o que né?! Fiquei oito meses internado na Santa Casa de Belo Horizonte. Depois da cirurgia, para estabilizar a coluna, peguei infecção hospitalar, quase morri de novo! Escrevendo isso agora perece que fiquei lá uns dias, puta merda já tem 18 anos?! Caraca!!!


Vamos lá então… gostaria de falar com as pessoas e mostrar que a vida, é realmente VIVER A VIDA.


Com tudo que se tem direito! É difícil sim… tem buracos, obstáculos, gente para encher o saco; é tanta coisa contra que parece que não vai dar certo… Mas a vida não é assim para todos?!

Só sei que DEUS não dá nada para as pessoas o que elas não possam superar e VIVER A VIDA com tudo.
 

Lembro-me de quando com 18 anos, dirigi meu carro pela 1º vez! Que liberdade! Entrar no carro e ir para onde eu queria (e sem carteira ainda). Era em 1997, e isso sim é VIVER A VIDA. Poder sair com amigos para festas, beijar muito na boca, ver que podia amar ser querido, mesmo em uma cadeira de rodas! Isso é VIVER A VIDA!!!
 

Já chorei muito, mas quem não chora? Não tive muita dificuldade de VIVER A VIDA e sou grato, primeiramente a DEUS! E a muitos amigos também.


Quando quis voar de parapente… Vixi… Quanta gente falando que eu era doido! Isso me deu tanta força para tentar, que hoje agradeço a elas por terem falado que eu não conseguiria.


Nossa voar… Não tem ninguém que possa descrever ou escrever o que é voar… Nunca ninguém vai conseguir isso! Só voando, sentindo, saindo da terra para poder saber o que é! E para mim que sou paraplégico… A primeira vez, juro que senti minhas pernas por 5 segundos! Meus amigos morrem de rir quando falo isso, não sei se foi verdade ou não, mais sei que foi a coisa mais louca que me aconteceu! Sair voando solto no ar vendo tudo pequeno lá embaixo… Que doideira! Senti minha perna sim!!!


Claro que a 1ª vez foi um voo duplo; e assim foram os 10 primeiros voos: decolando com meu instrutor e ele me dando os comandos em voo, aulas em pleno voo isso é VIVER A VIDA.

Depois veio o meu voo solo! Outra sensação louca na minha vida, mistura de adrenalina, endorfina a mil na cabeça que doideira! Nesse dia do meu voo solo, um italiano me disse que eu nunca ia sentir outra sensação igual a essa na minha vida! Ele estava certo! Até hoje não tive outra sensação igual na minha vida! Que orgasmo louco é solar de parapente, que misturas de sentimentos é voar sozinho. ISSO É VIVER A VIDA.


Gostaria de falar sobre isso para todos! Não sei se vai dar, mas vamos VIVENDO A VIDA."

 

Weverson R. Bezerra. (Evinho)

Conheça Evinho e seu trabalho:

 

Face:  www.facebook.com/weverson.bezerra
E-mail: skyfreedomevinho@hotmail.com

Tel: (33) 8707-0770
Alto Jequitibá MG.

Espero que tenham gostado!

 

Aguardo sugestões de esportistas que fazem a diferença para compor nossa galeria de Art Inclusiva!

 

por Rogélia Heriberta

 

Fotos do acervo do entrevistado e da artista Rogélia Heriberta

Revisão: Adriana Buzelin

Galeria de Fotos Art Inclusiva por Rogélia Heriberta

 

Ano 1:

Os Gigantes do Rugby em Cadeira de Rodas

Amor de Irmãos

com os filhos de Rogélia Heriberta

Voo Inclusivo

com Evinho Bezerra

Vida e Alegria

com Alan Mazzoleni

Um Mergulho na Inclusão

com Adriana Buzelin

Arte, Incluir, Amor Eterno

com Gelzimar Borges

Tendência Inclusiva

Aniversário de 1 ano!

Autismo - Além do Horizonte

com Bruno Caruso

Ano 2:

Selo - Acessibilidade

com Scott Rains

O Triunfo das Escolhas Inclusivas

com Samanta Bullock

Desafios e Conquistas

com Aline Cabral

© Copyright Tendência Inclusiva  2014 / 2020