Daniela Auler

em prol da moda inclusiva

 

Apaixonada pelo que faz, Daniela Auler é a idealizadora e coordenadora do Projeto Moda Inclusiva da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência do estado de São Paulo e vem desenvolvendo um grande trabalho na conscientização e divulgação da importância da moda inclusiva no Brasil promovendo concursos em todo estado de São Paulo. Nestes concursos, Daniela e sua equipe, levam a questão da moda para pessoas com deficiência como uma necessidade ainda pouco explorada pelos empresários da moda.

Daniela Auler é idealizadora e coordenadora do Projeto Moda Inclusiva na Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência do estado de São Paulo. Graduada em Negócios da Moda pela Universidade Anhembi Morumbi, com especialização em Responsabilidade Social e Sustentabilidade pela Fundação Getulio Vargas, mestranda em Têxtil e Moda pela EACH/USP, tem a carreira desenvolvida na criação e marketing em moda nos conta como a moda inclusiva surgiu em sua vida.

 

"O projeto Moda Inclusiva surgiu com um estudo realizado com os pacientes da Rede de Reabilitação Lucy Montoro. Com a criação da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, em 27 de março de 2008, data de posse da Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Dra. Linamara Rizzo Battistella, aliado com a visão e a missão desta secretaria, onde a missão é garantir o acesso das pessoas com deficiência no Estado de São Paulo a todos os bens, produtos e serviços existentes na sociedade e a visão é tornar-se referência mundial em articulação, implementação e monitoramento da inclusão social de pessoas com deficiência até 2015, o estudo se transformou no projeto de moda inclusiva e foi realizado o 1º Concurso de Moda Inclusiva, que além de sensibilizar sobre a importância dos aspectos do autocuidado, autoestima, vestuário e influenciar novas tendências para o mercado, o Concurso Moda Inclusiva tem como um dos objetivos chamar a atenção de todos os setores da sociedade para novas oportunidades de negócios pautados pela responsabilidade social e, principalmente, pelos conceitos de acessibilidade e Desenho Universal, visando o desenvolvimento de produtos que possam atender de forma equânime a toda a diversidade humana."

 

 

Para Daniela a moda inclusiva no Brasil passou a existir de uns 7 anos para cá.

 

"Hoje é uma vitória já existir algumas marcas direcionadas para esse segmento, principalmente em vendas através do e-commerce, mas isso é só o começo, nosso objetivo é que a moda inclusiva seja encontrada no mercado como um todo, tanto em lojas especializadas como em magazines. Acredito que estão começando a perceber esse novo público em potencial, no Estado de São Paulo conheço algumas lojas abertas recentemente como: Lira, Lado B e Adaptwear, Somos todos Um, no Rio de Janeiro a Sweet Angel e por aí vai.

 

Os cases internacionais também só aumentam como o casting da marca Diesel na nova campanha e o desfile na New York Fashion Week onde uma modelo cadeirante subiu na passarela para apresentar criações da estilista Carrie Hammer, são fatores que vão pontuando a tendência de uma moda mais democrática e chamando a atenção de varejistas e fabricantes."- relata Daniela.

 

 

 

No estado de São Paulo,  acontecem durante o ano, muitos desfiles nesta área e muitos são promovidos pela secretaria. Há uma democracia na escolha dos modelos que irão desfilar as peças dos estilistas inscritos. Vão desde pessoas com deficiência que anseiam por um lugar na passarela a modelos profissionais já agenciados. E os desfiles realizados tem grande repercussão pois abrem um leque de oportunidades aos profissionais da área.

 

"Os desfiles realizados pela secretaria são desdobramentos do concurso e vejo como importância dois focos principais, o primeiro é levar para a sociedade de uma forma lúdica as questões e o universo das pessoas com deficiência sensibilizando sobre a importância dos aspectos do autocuidado e autoestima, influenciando novas tendências para o mercado e o segundo que é chamar a atenção de todos os setores da sociedade para novas oportunidades de negócios, pautados pela responsabilidade social e, principalmente, pelos conceitos de acessibilidade e Desenho Universal, visando o desenvolvimento de produtos que possam atender de forma equânime a toda a diversidade humana, tanto em lojas especializadas com em magazines e multimarcas.

 

Acredito sim que estamos conscientizando estilistas e surgimentos de novas grifes neste segmento, um dos exemplos são estilista da Casa de Criadores, um dos principais eventos de moda no Brasil que depois do projeto “Novos Olhares” em parceria com a Secretaria de Pessoa com Deficiência de São Paulo, estilistas já colocam modelos com deficiência desfilando na apresentação de suas coleções, vejo isso como um resultado desses desfiles, outra questão são estilistas que participaram do concurso que colocam peças com o conceito da moda inclusiva em suas lojas, como por exemplo a estilista Vitoria Cuervo de Porto Alegre."  – relata Daniela.

 

E, a cada dia, temos mais pessoas envolvidas na moda inclusiva por isso Daniela desenvolve seu trabalho acreditando que futuros profissionais da moda quando estiverem em cargos diversos na confecção ou indústria têxtil terão quebrado antigos paradigmas influenciados pela moda inclusiva, tanto como um novo conceito de moda, novos modelos de negócios ou mesmo como formadores de equipes com pessoas que acreditam na diversidade.

 

5º Concurso de Moda Inclusiva - Edição Internacional

6º Concurso de Moda Inclusiva - Edição Internacional

E quando a questionamos sobre os futuros projetos, ela nos conta:

 

"Pretendemos seguir com o Concurso Internacional de Moda Inclusiva e realizar mais cursos e workshops de moda inclusiva, esperamos também apoiar novos concursos realizados por diferentes cidades como Campinas que esse ano criou o Primeiro Concurso de Moda Inclusiva de Campinas."

1º Concurso de Moda Inclusiva - Edição Campinas - SP

Em clima de descontração pedimos a nossa entrevistada que nos contasse quem é Daniela Auler e qual recado que deixa para os leitores da Revista Digital Tendência Inclusiva.

 

Contar quem é a Daniela Auler nesse momento beirando os 40 anos, só de refletir quase tive um curto circuito rs...  vamos lá: Sempre amei o universo da moda, também sempre me questionei sobre a evolução do ser humano, sociedade, mas fazendo um breve resumo posso dividir essa mulher em antes da Moda Inclusiva e depois de entrar nesse universo da diversidade humana que me ensina a cada dia, sou apaixonada por tudo a moda inclusiva me oferece!

 

O recado que posso deixar é que depois que entendi, com o coração mesmo, que todos nós seres humanos somos diferentes eu sou muito mais feliz como pessoa, como profissional e que a vida se torna muito mais interessante e acredito que a moda inclusiva tem uma forma lúdica de levar isso pra sociedade.

 

 

Site: http://modainclusiva.sedpcd.sp.gov.br/

Facebook : https://www.facebook.com/concursomodainclusiva?fref=ts

Fotos cedidas pelo entrevistado e retiradas do site de divulgação

 

 

por Adriana Buzelin em 25/10/2015

© Copyright Tendência Inclusiva  2014 / 2020