Porque amamos tanto nossos bichos de estimação?

O mundo pet vem aumentando!

 

As pessoas sentem a necessidade de compartilhar sua vida e seus momentos com um cão, um gato ou outro bichinho qualquer. E eles fazem a diferença! Nos alegram, nos fazem companhia e em alguns casos, nos ajudam a superar doenças.

Imagem retirada da internet via Google

"As ideias do filósofo americano Henry David Thoreau sempre estiveram à frente de seu tempo. Ele morreu em 1862, a três anos de ver a Constituição americana oficializar a proibição da escravidão, uma das causas que defendera. Interessado nas interações humanas com a natureza, foi um dos precursores dos conceitos de ecologia e ambientalismo. Sua filosofia da desobediência civil – a resistência aos atos de governos injustos – influenciou líderes como o pacifista indiano Mahatma Gandhi. O pensamento de Thoreau permanece atual também num dos aspectos essenciais da vida moderna, quando trata da relação entre humanos e seus animais de estimação. Thoreau escolheu viver no campo, à beira de um lago, para desfrutar a vida simples. Lá, depois de observar os vizinhos e seus animais, chegou a uma conclusão que ainda hoje resume a relação do Homo sapiens com seus bichos domésticos: “Com frequência, um homem é mais próximo de um gato ou de um cachorro do que de qualquer outro ser humano”. - Texto extraído http://revistaepoca.globo.com/vida -  Marcela Buscato e Nathalia Ziemkiewick.

Imagem retirada da internet via Bing

Mas não adianta dividirmos nossa vida com estes seres tão fofos e companheiros se nos esquecermos, ignorarmos ou não conhecermos alguns cuidados essenciais para que a saúde deles esteja em dia. Assim como nós, os animais precisam de atenção, que engloba: alimentação, vacinas, ambiente propício para o seu desenvolvimento e visita ao veterinário.

 

Dr. Alexandre Junqueira Pimenta de Almeida é especialista em Clínica e Cirurgia de Pequenos Animais em Belo Horizonte - MG.

 

Sua paixão pelos animais e incentivo à se tornar um veterinário, começou durante a  infância,  mais precisamente na chácara dos pais, onde chegou a ter 14 cães. Dai, como o próprio Alexandre narra, ele tinha o sonho de ser "médico de bicho".

 

Fez graduação pela PUC- Campus Poços de Caldas - MG e estagiou em uma clínica no bairro Gutierrez em Belo Horizonte, o qual é sócio hoje em dia.

Foto: Lícia Lima – Arquivo pessoal da Colunista

Dr. Alexandre responde sobre os principais problemas causados por excesso de calor ou períodos de chuva.

PARA OS DIAS QUENTES:

 

  •  Além de água para os dias quentes, há outra forma de hidratar os nossos animais de estimação?

 Sim a hidratação é muito importante e podemos incluir a colocação de gelo na água para refrescar mais e água de côco como auxiliar, pois nada substitui água de qualidade.

 

  •  Os Cães sofrem com o chão ou asfalto quente. Qual melhor horário para levar o animal para passear?

O asfalto e qualquer piso quente podem provocar queimaduras principalmente nas horas mais quentes do dia. Mas a exposição ao sol deve ser limitada para os horários com menos incidência de raios ultravioleta, os mesmos recomendados para tomar sol. Portanto nas manhãs até as 10:00h e a tarde a partir das 16:00h.

 

  • O que pode ocasionar nas patas dos animais, caso eles pisem em chão muito quente?

 O asfalto e qualquer piso quente podem provocar queimaduras principalmente nas  horas mais quentes do dia. O ideal é levar a um veterinário, pois normalmente o cão começa a mancar, alguns animais só vão demonstrar sinais quando a ferida estiver mais avançada.

 

Foto Lícia Lima – Arquivo pessoal da Colunista

  • Podemos aumentar a frequência dos banhos no verão? Quantas vezes por semana seria o ideal?

 A frequência máxima de banhos em animais saudáveis é de uma vez por semana, mais que isso tira a proteção natural da pele do animal. Mais do que duas vezes por semana somente com indicação veterinária. O ideal depende da convivência, pois o banho aumenta inconscientemente a interação e o afeto demonstrado aos animais. Portanto vai depender do proprietário eleger a frequência de banho do seu pet.

 

  • O forte calor e a umidade apresentam o clima perfeito para o aparecimento de pulgas e carrapatos? O que devemos fazer para proteger os animais domésticos?

Não se enganem achando que a simples catação pulgas e carrapatos resolverá esse problema. Temos que usar medicamentos para matar os parasitos que entram em contato com o nosso animal, que representam 5% do problema, e usar medicamentos para o controle ambiental, que representam 95% do problema, respeitando as diferenças entre as espécies e idade do seu animalzinho.

PERÍODO DE CHUVA:

 

  •  O período de chuvas também aumenta a incidência de leptospirose, doença transmitida pela urina de ratos disseminada por enxurradas e alagamentos. Quais as vacinas necessárias contra estas doenças e qual o intervalo entre as doses?

Contra a leptospirose existe uma vacina específica, mas a polivalente, dectupla, óctupla contem uma fração vacinal que protege contra a doença não sendo necessária a específica a não ser que seja região endêmica, pois nesses casos a vacinação deve ser feita semestralmente alternado entre a polivalente e contra leptospirose.

 

  •  Quais os principais sintomas que o animal pode apresentar, caso tenha tido contato com água de chuva contaminada?

Os principais sintomas são icterícia (mucosas amareladas, amarelão), febre, apatia, vômitos inapetência (falta de apetite), mas o amarelão pode demorar a aparecer o principal é o início do tratamento o mais rápido possível. Por isso é importante consultar o veterinário.

 

Alexandre apresenta a cadelinha Raja, que foi atropelada na Av Raja Gabaglia e por isto ganhou este nome. Hoje, ela está bem e aguarda uma adoção.  - Foto Lícia Lima – Arquivo pessoal da Colunista

"Quando eu olho nos olhos de um animal, eu vejo um ser vivo, eu sinto sua alma.’’ 

Autor desconhecido

Imagem retirada da internet via Google

 

Contatos em relação ao veterinário e adoção da cadelinha Raja, mande um e-mail para liciabhmg@yahoo.com.br

 

Acesse: Adote um amigo e conheça novos companheiros para adoção!

por Lícia Lima em 25/05/2015

© Copyright Tendência Inclusiva  2014 / 2020