Angela Ferreira e o Fashion Inclusivo

por Adriana Buzelin

Angela Ferreira é professora da rede pública de Brasília que sofreu vários preconceitos durante seus 50 anos, no mercado de trabalho, por ser negra, por querer inovar. Atualmente trabalha também num hospital público do Distrito Federal e é a idealizadora do Fashion Inclusivo. E sem dúvida alguma é uma mulher batalhadora, sensível e inovadora.

Como surgiu a ideia de criar o Fashion Inclusivo? Tem quanto tempo de existência?

 

O Fashion Inclusivo está fazendo 4 anos neste mês. Surgiu em 2010, quando eu era coordenadora de uma escola especial da periferia de Brasília. Todo ano, era comum finalizarmos o ano letivo com um pequeno espetáculo, contações de história para oferecer para as famílias dos alunos. Pensei em ousar e realizar um desfile e com tudo que tivesse num desfile "convencional", produção de cabelos, maquiagem, tapete vermelho e mestre de cerimônia para que apresentasse o desfile.  Alguns até sugeriram que o desfile acontecesse na própria escola, mas me recusei. Eu queria um local de mais glamour, daí com muitas reuniões, sensibilizamos a administração de um Shopping próximo de nossa escola em Sobradinho - Distrito Federal.

 

Esperávamos neste dia 11/11/2010, um público de no máximo 100 pessoas e  nos deparamos com mais de 300 pessoas , saindo uma nota num jornal de grande movimentação em Brasília e uma matéria na Globo.

 

Confiram o vídeo que foi veinculado na globo: Crianças com necessidades especiais participam de desfile no DF.

 

Qual o objetivo do Fashion Inclusivo? 

 

O projeto Fashion Inclusivo tem como proposta  despertar sobre questões que envolvam estilo, elegância e moda contemplando também as necessidades das pessoas com deficiência; sensibilizar sobre a importância dos aspectos de autocuidado, vestuário, criação de estilos e suas adequações nas relações sociais; compartilhar conhecimento sobre o tema e desmistificar questões relativas à deficiência; ampliar a visão e consequente atuação dos parceiros e colaboradores do evento sobre o potencial de consumo da população com deficiência  e criar a oportunidade de novos negócios pautados na.responsabilidade social por intermédio de produtos acessíveis a todos.

Fashion Inclusivo em 2010.

Fashion Inclusivo em 2014.

Quem são os modelos e como são escolhidos? E como é feita esta escolha?

 

O projeto hoje recebe crianças e jovens  com as mais variadas deficiências. Entre elas, autismo, síndrome de Down, paralisia cerebral, cegos, deficiências causadas pós traumas e etc...

 

Os ensaios são realizados uma vez por mês para que não atrapalhe a vida acadêmica de nossos modelos e o trabalho dos pais. Avaliamos em equipe, se a criança ou jovem tem perfil para a passarela.

 

 

E os parceiros? São muitos e, a cada dia, percebemos ter mais pessoas incluídas neste projeto.

 

Os maiores parceiros são as famílias com participação efetiva nos eventos e cuidando em grande parte da logística dos desfiles. Temos alguns voluntários, como fotógrafos,apresentadores, modelos condutores e para produção dos modelos, como maquiadores e cabeleireiros que quando podem, estão presentes nos eventos.  Algumas autoridades colaboraram em viagens que fizemos, divulgam e estão presentes a cada desfile realizado.

 

Os modelos são profissionais? Tem o interesse de profissionalizar os modelos que desfilam para o Fashion Inclusivo?

 

Os modelos não são profissionais ,mas  em 17 de setembro de 2014, fizeram um Worshop com Samanta Bullock, (Modelo internacional que reside em Londres), onde foi dado noções de passarela, postura, produção de cabelo e maquiagem, alimentação saudável entre outros assuntos. Todos os modelos que realizaram o Worshop, foram com certificados.

Foto foi tirada no workshop com Samanta Bullock  em 2014.

Foto foi tirada com Monica da Mata no Hair Brasília em 2014.

Quais são os principais eventos que o Fashion Inclusivo realizou até hoje?

 

O Fashion Inclusivo esteve em escolas,faculdades, praças e estações do metrô, realizou a abertura de eventos como o Capital Fashion Week - maior evento de moda da Capital Federal em 2011, Salão de Acessibilidade 2012 e 2014 realizados em Brasília. Em 2012 e 2013, estivemos em Foz do Iguaçu promovendo um desfile na abertura do Festival de Turismo das Cataratas, evento de muito sucesso, onde fomos patrocinados pela empresa Hidrelétrica Itaipu.

 

Quem é Angela Ferreira, além de uma grande guerreira cheia de ideiais?

 

Angela Ferreira é professora da rede pública de Brasília que sofreu vários preconceitos durante seus 50 anos, no mercado de trabalho, por ser negra, por querer inovar.  Trabalha também num hospital público do Distrito Federal e pode perceber que toda indiferença, racismo, discriminação, humilhação, são essências da pior doença que atinge os corações. Professora Angela é formada em pedagogia com especialização em Educação Inclusiva, trabalha há 21 anos na Secretaria de Educação e 20 anos na Secretaria de Saúde.

 

Como se contrata o Fashion Inclusivo?

 

Os órgãos públicos ou empresas privadas, procuram o Fashion Inclusivo para desfiles por contato com a professora Angela, pais de modelos ou modelos adultos, daí combinamos a participação nos eventos. Normalmente os modelos não ganham cachê, que acho uma injustiça, pois desfilam bem, demonstram bem os looks, acessórios, enfim, são convidados para abertura ou fechamento de eventos para abrilhantar ainda mais os mesmos. Faz-se uma reunião com o grupo uma vez por mês para discutir os convites e se aceitam ou não participar. Normalmente fechamos um evento por mês para que não prejudique a vida acadêmica dos modelos, já que muitos estão em fase escolar importante.

Foto tirada no dia 21 de Março nos bastidores do desfile na Câmara Legislativa em comemoração do Dia Internacional da Pessoa com Síndrome de Down - com João Guilherme e Yasmim.

Foto tirada no dia desfile na Câmara Legislativa em Hair Brasília com João Guilherme.

Deixe um recado para a Tendência Inclusiva sobre a inclusão, a diversidade e a lição de vida que o Fashion Inclusivo tem deixado na vida das pessoas.

 

O Fashion Inclusivo é um projeto de dedicação, empenho e desprendimento fazendo com que o amor seja a culminância entre seus membros, sejam famílias, modelos, coordenação, voluntários e parceiros. O respeito, a disciplina e a solidariedade são práticas trabalhadas com os seus integrantes, modelos de passarela.  Um avanço em minha função de professora do Ensino Especial. A melhora na autoestima e sociabilidade são visíveis entre as crianças e jovens do projeto.

 

O Fashion Inclusivo é um espaço organizado que vem sendo utilizado como ferramenta para discutirmos direitos que envolvem saúde, educação, mercado de trabalho, cultura, turismo e lazer dos deficientes. Ser coordenadora do  Fashion Inclusivo tem sido uma satisfação em poder contribuir para as gerações futuras na melhoria da acessibilidade e igualdade nas oportunidades. Lembrando que a Inclusão abre espaço para que a cooperação, o diálogo, a solidariedade, a criatividade e o espírito crítico sejam exercitado nas escolas por professores, pois são habilidades mínimas para o exercício da cidadania.

"Hoje estes dois amigos, Dr. Scott Rains e Todi Moreno doaram seu tempo precioso para os modelos do Fashion Inclusivo.
Ser voluntário é ter no coração o dom do amor e da solidariedade. É ter a consciência de que se está prestando um serviço à sociedade, impulsionado não somente por um sentimento de caridade, mas pela convicção de se estar cumprindo um dever imposto pela alma"
 

Angela Ferreira - 13/12/13

Foto foi tirada no Fórum Mundial dos Direitos Humanos, onde o Dr. Scott Rains veio palestrou por indicação do Fashion Inclusivo que foi membro do Comitê Organizador.

 

Para conhecer um pouco dessa, linda e grandiosa, trajetória do Fashion Inclusivo separamos alguns vídeos para vocês!

 

 

Você encontra muito mais  na fanpage do o Fashion Inclusivo:  https://www.facebook.com/FashionInclusivo 

E no blog que está em constante atualização: http://fashioninclusivo.blogspot.com.br/

Confiram algumas fotos do desfile realizado no Salão de Acessibilidade em Brasília - 2014.

Fotos: Acervo Fashion Inclusivo

 

 

por Adriana Buzelin em 30/11/14.

© Copyright Tendência Inclusiva  2014 / 2020