Conexão Inclusiva é a Revista Digital Tendência Inclusiva

nas ruas participando de eventos e trazendo notícias únicas para você.

Os modelos: Samir e Paula

Foto: Kica de Castro

Exposição “Além das Convenções”, de Kica de Castro, quebra paradigmas ao expor mulheres com deficiência nuas.

Na última quinta-feira (03), o Conjunto Nacional, espaço tradicional do público paulistano, tornou-se cenário das comemorações de abertura do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência. Para iniciar as atividades, foi organizada a exposição “Além das Convenções”, da fotógrafa Kica de Castro e uma mesa de debates, que contou com a presença de personalidades importantes como Adriana Dias, Ana Rita de Paula e Paula Ferrari, além da própria Kica. Apesar da pouca acessibilidade do local, o debate levantou algumas questões importantes sobre o corpo e a sexualidade da mulher com deficiência. É claro que tal ação apenas abriu um espaço de discussão e serão necessárias muitas outras conversas para que as pessoas compreendam e desmistifiquem certos tabus.

 

De qualquer forma, não há dúvidas de que o evento foi uma grande quebra de paradigmas. Não é todo dia que um espaço público, como o Conjunto Nacional, abre suas portas para receber mulheres com deficiência, completamente nuas. As fotos são delicadas, em nenhum momento abusam do erotismo ou colocam as modelos em situação constrangedora. Ao contrário, o trabalho valoriza a beleza do corpo com todas as suas nuances e imperfeições. São verdadeiras obras de arte.

 

A recepção do público foi positiva. Várias pessoas abordaram a fotógrafa e fizeram comentários. Dentre elas, estava Pedro Branco Gonçalves, executivo de contas da empresa Hand Talk, que desenvolveu um aplicativo que faz a tradução digital e automática para a língua de sinais. O Hugo, um simpático intérprete virtual, captura a voz do usuário e transforma em libras. Para ele a exposição foi importante e serviu para ajudá-lo a repensar várias questões: “As fotos são bem impactantes e me fizeram refletir um pouco sobre o preconceito. Para mim a nudez já é algo que não é tão comum de ser exposta e quando ela está unida a situações/pessoas que não estamos acostumados a ver no dia a dia, isso se torna maior e nos faz repensar. Achei muito bonito”, disse.

 

O fotógrafo Emerson Allonis também esteve presente e reconheceu o trabalho de Kica de Castro, que participou da edição 2015 do Erótika Fair. “Não sei o que dizer sobre as fotos que vi. Se fosse há quatro anos, diria que estou chocado, mas, hoje em dia, vemos muita coisa. O trabalho é lindo, difícil de fazer e a composição é incrível. Tem fotos que impressionam”, comenta.  A foto preferida dele foi a de Márcia Gori, diante do espelho.

 

Satisfeita com o resultado de seu trabalho, porém crítica, como era de se esperar da artista, Kica faz suas considerações:  "Para mim o maior retorno foi ver a reação do público. Receber o feedback de quem viu as fotos me fez sentir que estou no caminho certo. Percebi que tem havido uma mudança gradativa na sociedade e o preconceito está sendo deixado de lado". 

 

A exposição Além das Convenções foi uma iniciativa da Agência Kica de Castro, com o apoio da Soft Love, ONG Essas Mulheres, Revista Reação, Revista Digital Tendência Inclusiva e REC 7, além do apoio do Deputado Marcos Martins e da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida. As fotos puderam ser vistas no piso térreo do Conjunto Nacional, na avenida Paulista, 2073, até o dia 15 de dezembro.

por Sílvio Carvalho

 

Fotos enviada especialmente para a Conexão Inclusiva

© Copyright Tendência Inclusiva  2014 / 2020